Readers to the Brazilian Dailies: “Check Yourself or to Heck With Yourself”

The image “https://i2.wp.com/i113.photobucket.com/albums/n216/cbrayton/fsp03122007.jpg” cannot be displayed, because it contains errors.
“Exit polls give victory to Chávez in referendum”: The
Folha de S. Paulo front page on the day after. Not as bad as Miriam Leitão of O Globo writing “Chávez Won the Referendum Because He Manipulated the System!” Chávez lost the referendum. Quack.

Readers ‘efforts in support of greater accuracy is one of the most striking developments in contemporary journalism.

Leitores e checagem: “Readers and fact-checking.”

Mario Magalhães, ombudsman of the Folha de S. Paulo, does fine work, waving a banner with the inscription “This newspaper belongs to its readers (who after all are the people who pay our salaries).” More power to the guy.

If you can find the tiny little link to his column, buried way down the newpaper’s Web site, it is well worth bookmarking it and making it the first thing you read in the Folha every day.

File under

O editor de um excelente diário britânico costuma dizer que os jornalistas estão errados ao pensar que sabem muito mais que os leitores.

The editor of an excellent British daily is wont to say that journalists are wrong to think they they know a lot more than their readers do.

Em minha opinião, o raciocínio fica no meio do caminho: os jornalistas se equivocam ao ignorar que, sobre os assuntos a respeito dos quais informam, há sempre algum leitor que sabe mais do que eles (nós).

In my opinion, this line of reasoning does not go far enough. Journalists are wrong to ignore the fact that, regarding the subjects they cover, there is always some reader who knows more than they (we) do.

Mesmo os leitores não iniciados nos temas que se transformam em objeto de interesse jornalístico têm hoje à disposição uma vastidão de fontes nas quais podem cotejar a informação obtida no, por exemplo, seu jornal predileto.

Nowadays, even readers without special knowledge of topics that become the subject of journalistic coverage have a vast number of sources they can use to vet the information they receive, for example, from their favorite daily newspaper.

Não há estatística da Folha para identificar a origem das retificações em Erramos. É possível assegurar, contudo, que a maioria absoluta das correções é feita a partir de avisos dos leitores. Em boa parte dos casos, os alertas são enviados ao ombudsman, que os repassa à Redação, com pedido de checagem e eventual correção.

The Folha does not maintain statistics on the source of the corrections we run in our Erramos section. It is possible to state, however, that an absolute majority of corrections come from reader tips. In a good part of these cases, the tips are sent to the ombudsman, who forwards them to the newsroom with a request for fact-checking and a correction, if needed.

A transformação dos leitores da Folha em potenciais “checadores” de informações é uma conquista do jornal. Os leitores são aliados da Redação, no esforço para o jornal ser preciso nas informações que publica.

The transformation of Folha readers into potential “fact-checkers” is something the paper should be proud of. Our readers become allies of the newsroom in its effort to make the information it publishes more precise.

Há participação cada vez maior dos leitores, como indicam os números mais recentes do atendimento do ombudsman.

Reader participation continues to grow, as the numbers from the ombudsman’s desk indicate.

Em janeiro, houve 1092 contatos, recorde histórico em 19 anos, 5% a mais que no mesmo mês em 2007. Em fevereiro, 1228 –39% a mais que em fevereiro do ano passado.

In January of this year, we received 1,092 contacts, the highest number in 19 years, and 5% more than in the same month in 2007. In February, we received 1,228 — 39% more than in February 2007.

O empenho dos leitores em zelar pela precisão das informações é um dos aspectos mais notáveis do jornalismo contemporâneo.

Reader’s efforts to demand greater accuracy is one of the most striking developments in contemporary journalism.

Seguem algumas sugestões de checagem e retificação elaboradas com a indispensável contribuição dos leitores da Folha.

The following are some suggested fact-checks and corrections developed with the indispensable help of Folha readers.

Checagem 1

Fact-Check No. 1

Informa o texto “Pai afirma que Patrícia ficou 10 horas confinada, sem água e sem comida” (pág. C1 da sexta-feira): o horário de 12h em Madri equivale ao de 16h em Brasília.

The article “Father says Patricia was confined for 10 hours, without food or water (P. C1, Friday) informs us that noon in Madrid is 4:00 pm in Brasília.

Está errado. Estamos quatro horas atrás, e não à frente.

Not true. We are four hours behind, not four hours ahead of Madrid.

“The sun rise in the East, lover, and it set deeply in the West.”

Checagem 2

Fact-Check No. 2

O texto “PM não vai tolerar ‘baderna’ no RS, diz coronel” (pág. A10 da sexta-feira) relata declarações de um oficial da Brigada Militar.

The article “Military police will not tolerate ‘anarchy’ in Rio Grande do Sul, colonel says” (p. A10, Friday) quotes statements by an officer of the Military Brigade.

Não existe, que eu saiba, corporação de nome Polícia Militar no Rio Grande do Sul.

Rio Grande do Sul does not have a police force named “the Military Police,” as far as I know.

Logo, o título está errado, ainda que a Brigada seja a versão local da PM dos outros Estados.

Therefore, the headline is incorrect, because the Brigade is the local equivalent of the Military Police in other states.

Your chimarrão-sucking, tchê-saying gaúcho is a little bit different than your average Brazilian in a number of ways.

Checagem 3

Fact-Check No. 3

Há erro na primeira frase da reportagem “Equador faz busca em fazenda que forneceria produtos para a guerrilha” (pág. A12, sexta-feira, edição Nacional): “Agentes da Polícia Nacional e um promotor de Justiça equatorianos cumpriram ontem mandato de busca em uma fazenda próxima ao local do acampamento das Farc destruído por bombardeio colombiano no sábado”.

[tktktkt]

Como se sabe, o correto é mandado, com “d”.

[tktktkt]

O erro foi corrigido na edição São Paulo/DF.

[tktktkt]

The classic case of an error in English that spellcheck will not catch is “pubic” for “public.” Also known as the “Spitzer Spelling Anomaly.”

Checagem 4

Fact-Check No. 4

Eis comentário desta crítica na quinta-feira passada: “Sumiram 30 pontos – Há erro na nota ‘Texas, a missão’ (pág. A18) na edição Nacional. Afirma-se que Hillary Clinton liderava a disputa em assembléias no Estado por 26% a 44%. O correto é a senadora com 56%, como saiu na edição São Paulo, corrigida”.

[tktktkt]

Tanto a versão inicial como a derradeira estavam, aparentemente, erradas. Quem liderava, por 56% a 44%, o caucus do Texas era Obama, e não Hillary.

[tktktkt]

Checagem 5

[tktktkt]

O erro na pág. A12 do sábado repete engano que motivou Erramos no ano passado (“União indeniza 7 perseguidas por ditadura militar no Brasil”): a organização armada que combateu a ditadura se denominava Ação Libertadora Nacional, e não “Aliança” Libertadora Nacional.

[tktktkt]

Checagem 6

[tktktkt]

Sérgio Cabral elegeu-se governador do Rio de Janeiro em 2006, ao contrário do que afirma (2002) reportagem na pág. A10 do domingo, “Cabral negocia a vice com 4 presidenciáveis”.

[tktktkt]

Checagem 7

[tktktkt]

Texto na pág. E11 do domingo afirma que, em novela brasileira e no seriado americano “Brothers & Sisters”, “maridos morrem sem saber que tiveram filhas com suas amantes” (“História de ‘Duas Caras’ é idêntica à de série americana”).

[tktktkt]

Leitor informa que “em B&S o marido sabia da filha, tanto que usa a inicial dela para compor a senha de seu cofre, junto às iniciais dos outros filhos”.

[tktktkt]

Checagem 8

[tktktkt]

A língua se adapta ao mundo, muda e evolui com ele.

[tktktkt]

Chamada na primeira página dominical: “Soropositivas contam a experiência de ser mãe”.

[tktktkt]

Na boa reportagem da revista, não há concessão ao feminino: as mães são soropositivos, no masculino.

[tktktkt]

Creio que a Revista está certa e, a primeira página, errada.

[tktktkt]

Será?

[tktktkt]

Para reflexão.

[tktktkt]

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s